PUA Portugal

Comunidade Portuguesa de Pick Up Artists


    De volta, início da faculdade

    Compartilhe
    avatar
    ScramblerLane
    Membro

    Mensagens : 203
    Reputação : 56
    Data de inscrição : 10/05/2015
    Idade : 21
    Localização : Porto
    03102017

    De volta, início da faculdade

    Mensagem  ScramblerLane

    De volta a Portugal. Finalmente entrei na faculdade que eu queria, passado um bom tempo.  2 anos a tentar ir para o meu curso, mais 1 para a faculdade que eu queria. Felizmente não perdi tempo na mudança de cidades. Foram uns 3 anos bastante marcantes. 3 anos. Parece que foram mais.

    Como sempre, um texto enorme. Não consigo evitar! Agradeço a quem tenha a paciência de ler isto tudo.

    Antes de entrar na faculdade, tinha dito a mim mesmo que nos primeiros 60 dias, não ia me fazer a nenhuma rapariga, mas teria que tentar conhecer/criar relações com o maior número de pessoas possível. Sei que vocês não concordam com isto, e não me parece que vá seguir esta estratégia. É mais um truque mental. Só que conhecendo a mim mesmo, o conceito ajuda-me a relaxar o que faz-me mais atraente. Nos meus outros anos de faculdade, eu estava logo à procura desde o início da rapariga especial e focava imediatamente, talvez até aplicava-se a amigos. Eu metia a ideia de conquistar a rapariga na cabeça e por isso sentia imensa pressão a falar com ela, porque achava que se eu fosse apenas um amigo (independentemente do tempo), iria para a friendzone. Não era nenhum creep, nem o pickup guy, nunca fui. Simplesmente era o meu objetivo, e deixava-me mais envergonhado. Não deu em nada, apenas no último ano quase um KC. Por isso pareceu-me que se eu tivesse tentado ser amigo delas primeiro, era meio caminho andado porque estariam à vontade comigo, eu estaria à vontade com elas, para estarem a sós comigo e a partir daí seria mais fácil. Este último quase KC não veio parar aqui porque não estava a vir ao fórum após um breakup, grande erro.

    -Primeira semana de aulas (semana passada): Eu metia conversa com toda a gente. O início era sempre básico, e irrelevante. Nem me lembro, mas sabia que podia dizer qualquer coisa que daí levaria para outro assunto. Sempre metia conversa quando possível com as pessoas que estivessem sentadas perto de mim e na fila do almoço. Também participei em atividades fora das aulas e conheci mais pessoas. Com o tempo a minha memória melhorava, mas sempre que podia anotava nomes no telefone. No final da semana, tendo o meu objetivo sido “falar com toda a gente”, estava bastante contente porque sabia que a minha performance foi muito acima da média. Apesar de uma possível negatividade, eu consigo admitir a mim mesmo que possivelmente era o “caloiro” que mais pessoas conhecia apesar de não estar na praxe, e duvido que muitas pessoas metam conversa tão fácil como eu essa semana.
    Momentos mais relevantes:
    - 1)Sexta-feira, festa da faculdade. No dia anterior estava sentado num banco e ouvi duas pessoas a falar em inglês. Estava super cansado, a dizer a mim mesmo “esquece, já chega por hoje”, mais por cansaço do que outra coisa. No entanto, lá apertei o botão “foda-se” e meti conversa com eles. São de erasmus, gostei deles(1H+1M) e acabaram por ser com quem eu fui para a festa, o que é o mais surpreendente. Desta maneira não tive que me forçar a nenhum grupo, eu próprio sugeri que fossemos. Sabia que ia encontrar gente conhecida lá, mas não queria me juntar a nenhum grupo para ir para lá. No local, conheci o buddy dela, e depois na fila para comprar uma bebida meti conversa com os dois que estavam à minha frente (2 italianos, homem e mulher) . Estavam sozinhos e acabei por juntá-los ao nosso grupo, e ficaram connosco mais umas horas. Trocamos facebook, e hei de combinar algo. Na festa em si, estava eu, a rapariga e buddy dela. Ela tinha namorado mas percebi que ela era super desinibida no sentido que não queria saber o que os outros pensavam e era fiel. Eu não tinha qualquer interesse. No entanto, senti peer pressure dela para ir dançar com outras raparigas. Ela era quase a minha coach e apontava raparigas giras para mim. Ao todo foram 3.
    3 approaches da festa:
    - 1 rapariga que era de erasmus na minha faculdade pelos vistos, dançamos, e a coisa parecia estar a ir bem, mas depois as amigas a puxaram. O ideal acho que era ter falado com o grupo delas e depois ido embora, e depois voltava lá e avançava (que parece-me uma melhor estratégia para club game em geral).
    - 1 rapariga que estava num mixed set, eu estava no meu grupo. Estiquei o meu braço e dei-lhe um toque no ombro, sem sair do meu lugar, e fiz um gesto com a mão para ela vir ter comigo (estilo matrix). Ela riu-se e sinalizou não com a cabeça. Eu poderia estar a sorrir mais, mas também ir lá falar com ela depois do IOD não me parecia ideal. Outra vez, poderia ter ido falar com o grupo antes, saído e voltado depois. Ou, depois desse IOD, voltava lá passado um tempo a fazer uma piada self-depricating meio lá, meio a ir embora.
    - 1 rapariga que está num grupo só de raparigas. Estava no telemóvel. Eu estendi a mão logo para ela e disse-lhe “acho que sou mais interessante do que o teu telemóvel” com um smirk. Sei que poderia ter retirado o “acho”, mas como eu achei muito engraçado funcionou na mesma. Parecer modesto até pode insinuar mais confiança, como por exemplo: perguntarem ao homem mais forte do mundo, “consegues levantar aquela barra?” e ele sabe que sim, por isso diz “ya, acho que sim”. Ele próprio acha engraçado dizer isso porque é óbvio a verdade. Puxei-a e começamos a dançar bem forte, passado um tempo ela meio que se afastava, sempre a rir, mas eu puxava-a de volta e ela parecia gostar disso. Dei-lhe um beijo no pescoço e ela gostou, só que passado um tempo as amigas puxaram-na . Devia ter parado a dança eventualmente, falado com 1/2 amigas dela, ria-me e ia-me embora. Passado um tempo lá voltava e dizia, “ então, ficaste este tempo todo aqui à minha espera?” e voltava à carga.
    No final quando estava só eu e a rapariga de erasmus e eu disse-lhe o que se passou ela disse que não entendia porquê que as raparigas agiram assim, porque ela acha que eu sou “so fucking cute”. Isto não quer dizer nada, ela simplesmente é bastante honesta como já me disse. Ela disse que talvez as raparigas era novas e tinham pouca experiência, ou já estavam interessadas em outro rapaz. Depois ela disse que para a próxima temos de ir para um lugar com mulheres mais velhas!  Laughing O que gostei foi que se ela não me tivesse apontado para aquelas raparigas, eu não iria falar com elas, porque achava que eram giras demais. E como não queria parecer mal à frente dela, ia lá sempre. Grande coach!
    Outros momentos da primeira semana:
    2. Estava com uma colega a almoçar, chega uma rapariga da minha idade e começo a falar com ela, eu meto conversa, eu e ela estávamos meio que a gozar um com o outro, gostei do sentido de humor da rapariga. E era girinha.
    3. Uma rapariga que meti conversa com numa teórica, ria-se bastante do que eu dizia e era gira também. Depois disso não a vi mais até ela me mandar passado uns dias, uma mensagem no face a perguntar se eu costumava estudar na faculdade. Ela no insta tem algumas fotos com um namorado, mas já foram há algum tempo e podem ter acabado.  Respondi-lhe um bocado, conversa muito básica, superficial ainda… sabia que tinha de responder e não podia ser seco para ela achar que eu estava interessado, pouco a pouco. Só que houve uma altura em que eu respondi-lhe e ela abriu e não respondeu durante um dia.  Ela passou por mim na biblioteca e eu sorri e lhe fiz adeus como se tudo estivesse tranquilo e nem me tivesse apercebido de nada, e ela também. No dia a seguir, mandou-me mensagem a dizer: “Ah nem te cheguei a rsponder! etc. ”(ainda por cima com um erro ortográfico de propósito).  Eu respondi-lhe, não fiz referência ao fato de ela não responder, e fui simpático mas não lhe fiz nenhuma pergunta nem entrei no modo “isto é uma entrevista, tu respondes e eu não quero que a conversa acabe”.  Também não lhe dei assunto para falar, mas se ela quisesse podia mudar de assunto que eu respondia, mas não ia chase. A minha irmã disse-me que o que ela fez era um power play, e acredito, e ela acho tudo um bocado estranho. Não me respondeu e não precisava.  Passado uns dias, via-a perto de onde eu estava, mas não fui falar com ela, ela estava rodeada de pessoas, e pensei que ela também me podia ter visto e ignorou-me.
    4. Apercebi-me que uma amiga minha que estuda na faculdade tem muito em comum comigo.
    5. Tive um momento altruísta, um rapaz disse-me que a “aquela (apontou para a frente da sala)” rapariga era a crush dela da faculdade (caloiro já alerta Laughing ), e eu disse-lhe “meu se ela estivesse aqui (nos lugares) eu juro que metia conversa com ela e introduzia-te” , depois passado um tempo vi que ela estava atrás de nós, e meti conversa e meti-o na conversa. Ele parecia que tinha visto um grande display de confiança.
    6. Fiquei a falar com uma rapariga durante uma aula, e depois acabamos por almoçarmos juntos na cantina. Foi a rapariga da faculdade que achei que tinha sido mais próximo de uma amiga, porque não foi conversa aleatória de 5 minutos. Também é girinha, e achei que poderia sair dali alguma coisa. Só que depois esta semana eu a sair de uma aula e ela a entrar, começou a falar com 2 raparigas que eu estava com e nem olá me disse, mesmo depois de eu dizer “então tudo bem?”. Ou está tão interessada que tem medo de mostrar qualquer interesse ou foi simplesmente mal-educada.
    7. Tenho uma aula em que o meu grupo é bastante divertido.

    Esta segunda semana já não estou tão conversador.
    Também estou mais cansado, mas comecei a pensar mais para a frente e a sentir algum medo de mostrar interesse em alguma das raparigas. Eu estou em 2 anos diferentes, e por isso não há nenhum grupo de pessoas que eu veja todos os dias, é chato. Sinto que conheço muitas pessoas mas depois vejo-as no corredor e só dá tempo para um “olá X, tudo bem?” e continuar a andar. Também costumo sempre falar da faculdade.


    Overall:

    Fico contente com o meu verão, passei tempo com o meu pai que não costumo já que ele trabalha lá. O meu francês subiu de nível (duolingo muito recomendado para quem quiser), só preciso é de nestes tempos criar uma rotina ou organizar o meu tempo melhor.

    Sobre a faculdade, fico orgulhoso pela minha primeira semana apesar de ser uma confusão.
    Especialmente a coincidência de me sentar num banco onde as pessoas do lado seriam a minha companhia para sair à noite no dia seguinte. Foi difícil pensar longo termo, não querer tudo agora e primeiro conhecer pessoas o que me parece importante na faculdade.  Sei que é uma estratégia boa, é preciso conhecer várias pessoas e depois filtrar, do que simplesmente nos darmos com quem está na nossa turma.

    Sobre raparigas:
    Um aspeto positivo foi que na primeira semana tinha uma espécie de “abundância de escolha”. Não ando com várias, mas sentia que havia várias raparigas giras, potencialmente interessantes que eu fui conhecendo e não ficava apegado logo a nenhuma. Há varias que eu posso me interessar por.  
    A das mensagens , vamos chamá-la de R, parecia-me interessada, e eu acho-lhe alguma piada, só que não achei boa ideia andar atrás dela enquanto ela me ignorava. Devo esperar, ver se ela diz alguma coisa, ou quando a vir nas aulas vou cumprimentá-la e falar de alguma coisa? É suposto ser eu a mostrar interesse?
    Há outras também. Umas que já falei mais com, outras pouco. Não sei o que fazer agora. Há várias bonitas e que me interessam, mas não parei para pensar qual a que me interessa mais. O que devo fazer agora?

    Eu neste momento não sei o que fazer em geral.

    Quais são alguns tópicos que posso falar sobre, ou perguntas que posso fazer, para as conversas não reverterem sempre para assuntos monótonos tipo faculdade?

    Sei que para os meus conhecidos se tornarem amigos tenho de passar mais tempo com eles, e algo que acelera esse processo é combinar coisas com eles, especialmente fora da faculdade.



    1)Fico com receio de convidar pessoas que acham que me conhecem pouco por isso estranhariam o convite;
    2)Também às vezes gostava de sugerir de irmos almoçar fora da faculdade algures mas tenho receio que alguém ache caro (tipo 8€ uma vez) e depois fique a achar que eu sou algum riquinho (que não sou) e já me fique a julgar e na minha mente já não se dê comigo.
    3)As pessoas que eu convide podem não estar relacionadas umas às outras, e depois não sei se se dariam bem ou não, ou se estariam à vontade. Algumas dicas?

    Não estou a conciliar bem o estudo e o resto. Até acho que é pouco para estudar comparado ao que eu conseguiria aguentar, mas eu sei que eu quero ter boas notas e para isso preciso investir tempo e ser um bocado “anti-social”. Só que sempre que estudo, acho que “não estou a aproveitar a vida e a ser anti-social”. O que sugerem?

    Obrigado a quem leu! Eu demoro a vir aqui porque perco sempre 2 horas a escrever um texto.
    Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

    avatar

    Mensagem em Qua Out 04, 2017 7:02 am  sapedro

    Essas conversas aparecem normalmente conforme te vais dando mais tempo com as pessoas.
    avatar

    Mensagem em Qui Out 05, 2017 11:23 pm  ScramblerLane

    Progresso com a R:

    Acabei por encontrá-la na faculdade antes da aula, sentamos juntos. Quando eu sentei tinha uma chiclete para deitar fora, e ela: "Porque não deitaste a chiclete fora no lixo perto da porta?"
    Eu: Não havia lixo lá fora
    Ela: Tinha sim!
    Eu: Ok vamos apostar (aperto de mão)
    Ela: e vamos apostar o quê?
    Eu: Não sei... (a pensar)
    Ela: Olha pronto então se eu perder eu pago-te um café e vice versa
    Eu: Sim pronto combinado

    Ela como ia ficar lá à tarde acabamos por almoçar juntos. Ao sair da sala eu ia ver a coisa do lixo mas ela com um sorriso disse "depois vemos isso (para irmos almoçar, a fila da cantina é enorme e era para chegar cedo". O almoço correu bem, era conversa normal mas a conversa foi para ginecologistas e depois mandei umas piada sexuais. Eu ia ter aula, ela ia fazer outra coisa. Despedimo-nos e tal.

    Está interessada. Ela é gira e simpática, e eu tenho algum interesse. No entanto, se eu avançasse as coisas com ela, há alguma maneira de o fazer sem que as coisas entre nós fiquem más caso eu queira "parar" a algum ponto? E isso afeta negativamente e significativamente as minhas chances com outras raparigas da faculdade caso eu depois queira sair com outra (depois de eu deixar de tentar com esta)?

    Há outras raparigas bonitas fixes na faculdade. A mim parece-me que esta rapariga é a que está mais interessada, por isso talvez deveria valorizar isso. Há mais uma rapariga, que também me parece quase tão interessada só não tomou tanta iniciativa.

    Ontem estive num jantar da minha irmã em minha casa, e levou uma amiga que já tinha falado antes bastante mas eu não conhecia, a F. Achei-a muito bonita, e gostei do vibe dela. Só que eu já tinha prometido a mim mesmo que não me ia meter mais com amigas da minha irmã a menos que elas mostrem interesse claro. Por isso não vou fazer nada. É difícil porque sempre que estava com essa rapariga sentia tensão, ou "butterflies in my stomach".  No entanto, queria também aproveitar a situação para perceber alguns conceitos de PUA. Eu falar de outras raparigas à frente de uma rapariga é bom ou mau? Esta rapariga em questão riu-se quando a minha irmã lhe disse que uma ex-amiga delas gostava de mim (nenhuma que tive com) e também quando estavam a falar que eu andava a adicionar imensas raparigas no facebook e a minha irmã disse que elas é que mandam mensagem e que isso não lhe acontecia a ela com rapazes; só que eu tentava mudar de assunto, dar um risinho e não dar palha. Estavam lá amigos meus e sabem como é que é, estavam interessados em saber como andava a faculdade  Smile . Eu sei que a tal ex-amiga que gostava de mim, eu não tinha interesse nela por isso falava sobre outras raparigas com ela, mas não entendo o porquê disso ser bom. Por exemplo o Barney de How I met your mother. Ele está sempre a falar de mulheres, e ainda acaba com a Robin? Porquê? Porque por acaso o meu estado natural é falar de raparigas com amigos. Amanhã pelos vistos ela vai sair connosco depois de um jantar de anos.

    Obrigado!
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 7:04 am  sapedro

    1. Se as coisas ficarem más que fiquem, é da vida. Ela vai sempre respeitar-te mais a todos os níveis se tentares alguma coisa, estando interessado.

    2. Se afectasse, que afectasse. Mas não afecta, muito pelo contrário, desde que a coisa não seja feita descaradamente. Tenta o KC longe dali.

    3. Tu estás interessado nessa amiga da tua irmã.

    4. A tua irmã está a fazer-te a papinha toda, está descaradamente a qualificar-te à frente delas...


    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 10:40 am  Martini Man

    Ponto de ordem á mesa. O Barney Stinson tem um game poderosíssimo chamado ARGUMENTISTAS!!!

    HELLOO!!! Aquilo é uma serie cómica, ok? Não é um documentário cientifico. E é tal o poder dos argumentistas que metem um gajo que é assumidamente homossexual a fazer de maior garanhão a seguir ao Tony Manero

    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 10:51 am  Martini Man

    Bem, vamos lá por partes:

    Está interessada. Esta! Principalmente depois do "depois vemos isso"Cool

    Ela é gira e simpática, e eu tenho algum interesse. Força! Continua a encontrar-te com ela e Time Bridge para fora da Fac o na fac mas so os dois

    No entanto, se eu avançasse as coisas com ela, há alguma maneira de o fazer sem que as coisas entre nós fiquem más caso eu queira "parar" a algum ponto? Há! Parando nesse ponto. daaah! Ve as coisas da seguinte forma: vocês estão a fazer um acminho junto. Se um de vocês parar... não completam o caminho. Pronto.


    E isso afeta negativamente e significativamente as minhas chances com outras raparigas da faculdade caso eu depois queira sair com outra (depois de eu deixar de tentar com esta)?

    Moço... Abre lá o excel. Numa célula mete o numero TOTAL de alunos da tua faculdade de todos os anos e cursos. Noutra ao lado mete o numero de alunos que TU conheces o nome. e na terceira o numero total de pessoas que (tu achas) que te conhecem (Deve ser as que sabes o nome com mais algumas que sabem que existes)
    Compara estes dois números com o do total. GET REAL!!!! Smile


    Há outras raparigas bonitas fixes na faculdade. A mim parece-me que esta rapariga é a que está mais interessada, por isso talvez deveria valorizar isso.

    Deves! Esta está mais avançada e avança-se sempre com a mais avançada

    Há mais uma rapariga, que também me parece quase tão interessada só não tomou tanta iniciativa.

    Então fica para segundas núpcias. "Avança-a" também pelas casa do MM (como se fosse um jogo da gloria) mas dando sempre prioridade á primeira, até serem felizes para sempre ou até ela se desmarcar.
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 10:52 am  Martini Man

    E finalmente o Pensamento do dia:

    "As irmãs são as melhores wings"
    Very Happy
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 3:36 pm  ScramblerLane

    sapedro escreveu:1. Se as coisas ficarem más que fiquem, é da vida. Ela vai sempre respeitar-te mais a todos os níveis se tentares alguma coisa, estando interessado.

    2. Se afectasse, que afectasse. Mas não afecta, muito pelo contrário, desde que a coisa não seja feita descaradamente. Tenta o KC longe dali.

    3. Tu estás interessado nessa amiga da tua irmã.

    4. A tua irmã está a fazer-te a papinha toda, está descaradamente a qualificar-te à frente delas...



    Sobre a R:
    Sim, também já percebi que posso ir devagar, e acho que isso ajuda o "ficar tudo normal". Devagar para mim sendo um café próxima semana com ou sem KC, a menos que receba sinais claros, e depois outro na semana a seguir e assim... E como são coisas pequenas, posso fazer com mais que uma. Começo a perceber o valor de um pequeno café inofensivo, dos pequenos "saltos de conforto".

    Às vezes tenho pequenos "glimpses" da língua "secreta ou subentendida" das mulheres. Se elas conseguirem mostrar interesse sem chamar muita atenção mostram. Sabemos que é importante mostrar interesse numa mulher, no entanto eu antes ia sempre para os mais óbvios, porque eu tinha de ter a certeza que ela sabia que eu gostava dela, para eu saber que ela gostava de mim. E isso estragava muita coisa, e apercebo-me disso agora. Parte da atração é ela não saber se nós gostamos dela ou não, e a minha necessidade de descobrir se ela gostava de mim estragava isso, e não havia mistério nem incertezas. Hoje em dia vejo que há outras maneiras subtis de mostrar interesse, especialmente num setting social. Como por exemplo:

    • Ser um pouco mais simpático com ela do que com outras, "queres te sentar no meu lugar?"


    • Ter mais cuidado com ela do que com as outras, "precisas de alguma coisa?"


    O que não só põe pouca pressão nela pois não há nada que ela precise responder, e depois fica na dúvida se gostamos dela ou se estamos simplesmente a ser simpáticos, o que é bom. Com a R notei que aquilo de ela sugerir um café como prémio até foi bastante forte em termos de interesse, mas ela disse isso porque acreditava que eu ia agir normal e fingir que somos simplesmente dois amigos. Fiz bem, mas é algo que eu tenho de trabalhar, que é mostrar interesse subtil e avançar as coisas de forma a que só "admitimos" mais descaradamente que gostamos um do outro no KC. Ou seja, qual é a melhor maneira de criarmos um ambiente em que uma rapariga sente-se à vontade em mostrar interesse por confia que nós vamos fingir que nada se passou? (mais tarde retribuindo subtilmente o IOI)

    Sobre a F:

    Sim... Só que já me conheço o suficiente e tenho alguma experiência para saber que isto pode ser tudo inventado na minha cabeça... E também não posso avançar com uma amiga da minha irmã. Só se um dia a minha irmã me disser que acha que a F está interessada em mim; aí já não fui eu que me meti com uma amiga dela, mas sim ao contrário.

    Sim, estou interessado. No entanto nós sabemos que o nosso cérebro prega-nos partidas, e podemos estar interessado por needyness, ou acharmos que é fácil, ou termos ideia que certas raparigas são mais boazinhas que outras. Por isso é que tento ignorar. Hoje ela deve ir sair connosco mas não tenho a certeza. Vou simplesmente tentar ser o rapaz da 1 semana da faculdade, falando como todos normalmente sem agenda e sendo amigável. Depois o que tiver que ser foi. Tenho que respeitar os meus próprios limites, e se ela comer alguém na noite, que assim seja. Eu pensei em me meter com raparigas à frente dela na noite, assim inviabilizando interesse dela por mim , afastando-me das amigas da minha irmã, forçando-me a esquecê-la pois já não tenho chances.

    E se formos a pensar longo termo, o melhor deve ser mesmo só ficar amigo dessa rapariga. Parece-me que ela precisa de um bom tempo para ficar à vontade com alguém.
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 3:41 pm  ScramblerLane

    Martini Man escreveu:Ponto de ordem á mesa. O Barney Stinson tem um game poderosíssimo chamado ARGUMENTISTAS!!!

    HELLOO!!! Aquilo é uma serie cómica, ok? Não é um documentário cientifico. E é tal o poder dos argumentistas que metem um gajo que é assumidamente homossexual a fazer de maior garanhão a seguir ao Tony Manero


    Sim. No entanto, já houve raparigas que gostaram de mim e eu falava sempre com elas de outras raparigas, as raparigas que me interessavam, e falava como um "garanhão". Tratava-a como um amigo, por isso não percebo.

    Por um lado o Barney é o mais confiante, e o que não leva sexo tão a sério. Acho que ele tem aquele efeito, "sim, eu sei, mas é o Barney", em que tens um passe para fazer qualquer coisa. Eu sei que é uma série, mas podia ter algo de realista. Por acaso no meu instagram e facebook tenho um vídeo em que pergunto à Robin quando ela veio cá na Comic Con se algum homem já tinha dormido com ela usando a técnica do Naked Man (referência a um episódio). Consegui dizer sem estar muito nervoso e toda a gente riu.
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 3:45 pm  ScramblerLane

    Martini Man escreveu:Bem, vamos lá por partes:

    Está interessada. Esta! Principalmente depois do "depois vemos isso"Cool

    Porquê especialmente depois do "depois vemos isso"?

    Martini Man escreveu:
    Ela é gira e simpática, e eu tenho algum interesse. Força! Continua a encontrar-te com ela e Time Bridge para fora da Fac o na fac mas so os dois

    Sim, próxima semana quando a vir falo da aposta e digo que estou à espera de algo muito fixe tipo o café X. E fica combinado!

    Martini Man escreveu:Há mais uma rapariga, que também me parece quase tão interessada só não tomou tanta iniciativa.

    Então fica para segundas núpcias. "Avança-a" também pelas casa do MM (como se fosse um jogo da gloria) mas dando sempre prioridade á primeira, até serem felizes para sempre ou até ela se desmarcar.

    Sim, vou começar por combinar algo com ela na fac.
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 3:53 pm  sapedro

    Esse jogo de ir demasiado devagar liquidará totalmente as tuas possibilidades.
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 4:00 pm  ScramblerLane

    Um café por semana, é muito devagar?
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 4:05 pm  ScramblerLane

    O seguinte é sobre a F, só que escrevi como se fosse uma rapariga qualquer porque inicialmente ia pôr no fórum aberto:

    Recentemente estive numa situação de grupo onde estávamos todos a ser engraçados mas um amigo meu mais em particular. O meu humor é mais verbal. Gozar com o que alguém disse, comigo mesmo, exagerar uma situação, piadas sexuais, fazer imitações... O dele pode ser parecido, mas há uma coisa que ele faz que eu não faço, ou não faço tanto. Num ambiente fechado (numa casa) com amigos ele faz umas danças loucas , abana imenso o rabo e tal e atira-se ou encosta-se em cima das pessoas, incluindo raparigas. É muito engraçado, mas da última vez que aconteceu admito que fiquei com alguns ciúmes por ele estar a fazer uma rapariga em particular rir-se. O tipo de ciúmes em que ficamos a achar que devemos fazer o mesmo.

    Eu sei que há o riso nervoso de uma mulher (muito forte IOI), e o riso normal (pode ou não, mas se for não é tão forte). Sei que uma ex-amiga minha também se ria quando ele fazia-lhe isso ou algo parecido (tentar deixar alguém pouco confortável), mas depois uma vez disse que era estranho ou algo assim , mas ela ria-se muito quando ele fazia isso.

    O rapaz em questão não tem experiência com mulheres, aliás acho que nunca beijou uma. É meu amigo, no entanto, nenhum de nós tendo antecedentes com a rapariga em questão não vejo problema em competir (não que ele esteja a competir porque sei que não consegue close, nem tem coragem para tal , mas não sei se consegue a atenção dela). Essa rapariga depois no carro (ele não estava lá) disse que ele era muito animado, e a minha irmã disse-lhe que ele era muito querido. Ou seja, não deve ter achado estranho, mas por outro lado também se quisesse falar mal dele não podia.

    Uma técnica que posso usar é simplesmente numa situação dessas deixá-la tar com ele por muito tempo. Talvez uns minutos com ele ela acha engraçado, mas se eu a deixar lá o tempo todo eu acho que ela ia se fartar e sentir-se pouco confortável. Quase em vez de competir com um gajo, deixa-o fazer a coisa dele. Ela depois vem.
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 4:09 pm  ScramblerLane

    E mais:

    Eu olhava para ela muitas vezes durante o jantar. Assumo que ela notou? E se sim, é bom ou mau?
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 7:35 pm  Martini Man

    "Porquê especialmente depois do "depois vemos isso"?

    Porque ao não irem logo ver o caixote prolonga a vossa interaçao.

    Se fossem logo ver o caixote um dizia ao outro: "Ves? O que é que te disse? " e aquilo (podia) morrer ali. E podiam ter ido logo. Uma corridinha e estavam ainda a tempo de ir almoçar. Mas já sem um assunto, sem aquela pressaozinha de "Quem é que terá razão?" sem a possibilidade de mandar bocas um ao outro durante o almoço.

    Ao adiar a confirmação é como se esse assunto pendente vos mantivesse unidos durante o almoço, é uma coisa só vossa mesmo que tenham mais gente na mesa, é uma referencia e o inicio da criação de uma historia a dois.

    E isto é muito bom game dela. Tão bom que nem notaste... Cool
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 7:44 pm  Martini Man

    ScramblerLane escreveu:Um café por semana, é muito devagar?

    Qualquer limite de velocidade que não parta DOS DOIS é muito devagar.

    Definires á partida um calendário, ou um ritmo sem ter em conta o que acontece com os dois e o que ela SENTE é errado. Podes usar essa ideia como uma base de trabalho, um esboço pronto a ser deitado para o lixo a qualquer momento, nada mais. Se a vossa dinâmica for boa, no limite, até podem ir para a cama e começar a viver juntos logo na primeira saída. E tu não vais por um travão a isso porque de acordo com o plano isso só poderia acontecer dali a 5 semanas.

    Portanto vai sair, deixa fluir, faz acontecer e mete a velocidade que LHE for confortável
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 7:45 pm  Martini Man

    ScramblerLane escreveu:E mais:

    Eu olhava para ela muitas vezes durante o jantar. Assumo que ela notou? E se sim, é bom ou mau?

    Ela notou. Nem bom, nem mau
    avatar

    Mensagem em Sex Out 06, 2017 7:47 pm  Martini Man

    ScramblerLane escreveu: E também não posso avançar com uma amiga da minha irmã. Só se um dia a minha irmã me disser que acha que a F está interessada em mim; aí já não fui eu que me meti com uma amiga dela, mas sim ao contrário.
    .

    Vou nomear esta frase para a categoria de "Frase Parva do Ano". Consegues perceber porque?
    avatar

    Mensagem em Sab Out 07, 2017 12:18 pm  ScramblerLane

    Já percebi o "depois vemos isso".

    Sobre a velocidade: Sobre quando combinar. Ela deve ir a uma aula que eu também tenho quarta-feira, e por isso posso simplesmente chegar lá, falamos e eu menciono o lixo e depois sugiro o lugar. Acho que vou vê-la segunda porque tem uma aula perto de mim, mas não é a mesma turma. O nosso professor disse que quem quisesse ir ver uma cirurgia podia. Falamos sobre isso no almoço, e depois ela à noite mandou-me mensagem a perguntar se eu queria ficar no grupo dela mais uma amiga; também pediu-me uns programas de uma disciplina. Por isso as mensagens que nós trocamos desde esse tempo foram essas, e foram breves.

    Eu odeio mandar mensagens. É horrível. Desde que o Martini me iniciou nas chamadas telefónicas não gosto de outra coisa. E mesmo assim, eu gosto é de estar em pessoa com ela. Portanto, eu não quero ficar-lhe a mandar mensagens agora, e não preciso de enumerar as desvantagens dos SMS. Parece-me que vocês acham que quarta é muito tarde, e é deixar às coisas à sorte porque ela pode não ir à aula.

    Quinta-feira acho que é o dia que mais nos dá jeito estudar na faculdade, só que também é tarde. Não sei o que planear, também não sei o horário dela... Eu hoje vou ter que lhe mandar uma mensagem acerca da faculdade, e depois de ela responder posso lhe dizer: "não te esqueças que me deves um café ", e ela "o quê? não vimos o lixo etc." só que hoje é sabado, idealmente devia dizer isto perto do dia do date mesmo, e em pessoa parece-me melhor. A minha intuição diz-me que é melhor não falar do lixo. Tal como disseste Martini, no momento que se fala do lixo, já não há mais lixo para falar, não há mais "Ás na manga". Se eu falo do lixo, ela já não pode falar. Por isso o podia ser estudar, e depois ir tomar café algures. Não sei, sugestões?
    avatar

    Mensagem em Sab Out 07, 2017 1:10 pm  ScramblerLane

    Martini Man escreveu:
    ScramblerLane escreveu: E também não posso avançar com uma amiga da minha irmã. Só se um dia a minha irmã me disser que acha que a F está interessada em mim; aí já não fui eu que me meti com uma amiga dela, mas sim ao contrário.
    .

    Vou nomear esta frase para  a categoria de "Frase Parva do Ano". Consegues perceber porque?

    Desculpa, mas não percebi.


    Eu já estive com 2 amigas da minha irmã.
    Uma (já não se vêem tanto) foi quase uma relação não assumida por uns 2 meses, que quase ninguém sabe, e a outra foi a X (dão se bem mas só se vêem na faculdade) do outro tópico. A primeira não é próxima dela, já foram. Não costuma estar com a segunda , mas dão se bem. Ela dá-se bem com toda a gente, obviamente, mas não é próxima com toda a gente.

    No entanto, esta F é das que ela mais se dá na faculdade. Tentar algo com alguém que ela nem conhece bem, tranquilo, se ficar estranho tudo bem. Uma amiga próxima dela? É mais sério. Eu não quero estragar amizades da minha irmã com ninguém, nem quero que achem que eu ando a comer todas as amigas dela. Ainda por cima, há mais pressão sendo irmão dela. A própria X disse isso, que "tu és irmão de uma amiga minha bla bla bla". Imagino que a F não quer ser má para mim por eu ser irmão da amiga dela, e não quero que ela sinta pressão para me tratar de uma certa maneira.

    E quando 2 pessoas do sexo oposto estão se a aproximar, é suposto não se sentirem pressionadas, especialmente as mulheres. A última coisa que eu quero é que sempre que ela fale comigo fica a pensar nas implicações com a minha irmã, porque isso é natural. A única maneira disso deixar de acontecer é simplesmente eu estar com ela mais vezes, até possivelmente ela já me vir como um amigo e não o irmão da amiga dela.
    avatar

    Mensagem em Sab Out 07, 2017 1:23 pm  ScramblerLane

    Sobre ontem à noite, estava lá a F:

    Tive um jantar de anos, de um amigo em comum meu e da minha irmã. Acabamos por ir sair a seguir às galerias. Eu bebo pouco, também isso chega para eu ficar bêbado. Nas galerias com mais bebida ainda, estava mais solto. Apesar de a bebida não me ter feito num homem super confiante como eu às vezes espero, estava mais relaxado e se não tivesse bebido ia estar mais sério.

    Encontramos com a F e uma amiga dela nas galerias. A amiga acabou por ir embora, mais grande parte do nosso grupo. Fiquei eu, a minha irmã, a F, uma amiga e um amigo (casal). Graças à bebida estava solto em termos de dança, relaxado. No entanto, ainda me sentia a tentar impressionar ligeiramente as pessoas, especialmente a F. Não que os meus amigos tenham notado, também estava tudo mais para lá do que para cá. E como eu sou mais desinibido do que a maioria, pareço naturalmente confiante. Era mais a minha mentalidade, em que às vezes queria fazer o movimento mais engraçado e tal. Tinha sempre a F "in the back of my mind". Era difícil às vezes não dar uma olhada para ela. Podia não ser o melhor dançarino, apesar que eu adoro dançar, mas fui um leader.

    A uma certa altura estava eu num bar com entrada restrita só com a F, a minha irmã e a minha amiga, e os nossos amigos ainda não tinham vindo. Quando chegaram, mandaram uma mensagem à minha irmã a dizer que não conseguiam entrar e que a fila estava enorme. A minha amiga disse que ia lá, eu disse "não, vou eu , deixa", e ela " eu vou porque eu sou rapariga", e eu simplesmente lhe dei o meu casaco disse "já venho" e fui à porta. Falei com o segurança, um tipo muito fixe (nada Urban), lembrei-me do nome dele e tudo, e ele deixou os meus amigos passarem à frente da fila. Quando trouxe o pessoal todo para perto das raparigas senti-me muito mauzão, mas não sei se mais alguém notou.

    Não vi nada que fosse interesse da parte da F. A única coisa que pode ter sido foi: Vi o fotógrafo, e fui falar com ele para nos tirar uma foto. Pus-me estratégicamente mais para o lado da F, e acabou que eu fiquei na ponta ao lado dela. Pus o meu braço direito em cima dela e da minha irmã, e o meu braço esquerdo solto. Ela pôs a mão esquerda dela na minha cintura, e encostou a cabeça a mim. Não sei se ficou lá o tempo todo, mas acho que na foto deve estar ela com a cabeça encostada a mim ou perto disso. A questão é que imagino que ela podia ter encostado a cabeça à minha irmã que estava do lado direito. (ela estava bêbada)

    Do resto nada. No final, as raparigas saíram e eu fiquei mais uns minutos com o meu amigo. Comecei a falar com uma rapariga e tal, acabou por não dar em nada depois de dançarmos. Eu estava a "push" muito, mas também a rapariga já ia embora, não havia muito que eu pudesse fazer. Também caguei completamente, foi mesmo só porque sim, estava cansado, e não queria ir já embora.

    A minha amiga viu, acabou por reclamar com o namorado dela porque ele fez não sei o quê... Quando saímos ela contou à minha irmã e a minha irmã disse em voz alta "tu ias comer uma rapariga?" e eu "não" (com aquele tom tipo não sei do que estás a falar, meio engraçado). Referenciaram isso no carro também, não sei se a F prestou atenção ou se prestou o que ia achar disso. Da minha parte ela deve ter percebido alguma coisa, seja pelos olhares, ou por outras coisas quaisquer. Eu não consegui evitar, ninguém percebeu nada, mas ela deve ter sentido alguma coisa, eu acho que mostrei sim.

    Se eu tivesse sido óbvio no meu interesse e os meus amigos tivessem percebido, a minha irmã teria percebido e sem dúvida vinha falar comigo a dizer "tás interessado na F?". O fato de ela não notar que eu estou interessado é um sinal que os outros não notaram, só se foi a F mesmo ligeiramente. Eu queria ter falado com ela um pouco mas não deu, dizem que ela é muito engraçada bêbada mas com a música e no bar não deu. No final já estava cansada demais.

    Até agora ainda não tomou iniciativa para falar comigo, não está a vontade
    . Ouvi dizer que crias conforto cada vez que estás com ela mas não tentas nada, não tenho conseguido criar conforto, e também não sei como é possível eu estar com ela e ser 100% normal (sou para aí 85%). Os outros 15% sou eu diferente porque ela é linda. Eu tenho tanto medo de mostrar interesse que nem a adicionei no facebook, que até acho normal já que estivemos juntos 2 vezes e uma delas em minha casa. Ela ia vendo a minha vida e era uma espécie de atração passiva. Pelo menos se ela quisesse tinha sempre um foto minha para dar uma espreitada. Só que fico a pensar que ela vai achar estranho, ou que não conhece ao ponto de me adicionar no face.

    Ela é muito ligada aos amigos da escola, e acho que são esses os amigos principais dela, e acho que ela tem algum interesse num deles (pelo que me disseram). Também sei que já comeu um rapaz na cidade dela que eu sei que é mesmo feio, e quando lhe perguntaram porquê ela disse "não sei, todas vão lá". Tenho outra amiga que também já foi lá.  Isto disseram-me. Já a ouvi a dizer que os amigos dela bebem muito, e às vezes eu fico tipo "mas o quê? eu preciso de beber muito? é suposto eu ser um garanhão que nem esse feio?".

    Por estes exemplos é que acho que o Barney Stinson é um bocado realista. Sim ele é homossexual na vida real, mas é um ator que sabe fingir bem.
    avatar

    Mensagem em Sab Out 07, 2017 11:15 pm  ScramblerLane

    Bom, entretanto aconteceram algumas coisas à minha volta que me fizeram repensar o que é importante, como podem ler na aba geral.

    Tenho inseguranças sim, tenho medo que ela se interesse por outro , tenho medo que não seja quem eu pense ela ser.

    No entanto, vejo que não tentar ficar com esta rapariga é um desrespeito para com ela. Quem sabe se eu não ficar com ela, ela acaba por ficar com um merdas qualquer. Apesar de tudo, do meu receio de inadvertidamente magoar a minha irmã ou afetar a sua vida, também não é certo ignorar o que eu sinto por esta rapariga.
    Portanto, estou aberto a sugestões de como avançar isto. Dou preferência a algo mais subtil e devagar, dado as circunstâncias. Tenham em contam que as probabilidades de eu fazer algo em grupo com esta rapariga nas próximas 2 semanas, a meu ver, são altíssimas, por isso não precisamos de forçar a barra .

    De qualquer maneira gostava de ouvir a vossa opinião sobre as outras coisas que escrevi.

    Obrigado pela ajuda mais uma vez! Devo muito a esta comunidade. Desde o meu 8 ano na escola via eu PUA e tiraram-me de um buraco muito fundo.
    avatar

    Mensagem em Dom Out 08, 2017 3:46 pm  sapedro

    ScramblerLane escreveu:Bom, entretanto aconteceram algumas coisas à minha volta que me fizeram repensar o que é importante, como podem ler na aba geral.

    Tenho inseguranças sim, tenho medo que ela se interesse por outro , tenho medo que não seja quem eu pense ela ser.

    No entanto, vejo que não tentar ficar com esta rapariga é um desrespeito para com ela. Quem sabe se eu não ficar com ela, ela acaba por ficar com um merdas qualquer. Apesar de tudo, do meu receio de inadvertidamente magoar a minha irmã ou afetar a sua vida, também não é certo ignorar o que eu sinto por esta rapariga.
    [/b]

    O que acima de tudo está errado é tu quereres ou não quereres ter algo com alguma gaja por achares que uma coisa ou outra é desrespeito para com ela. Procederes dessa forma é desrespeito de ti próprio.

    O que vale é que isso é tudo racionalizações. Estás interessado nela e como já deu para ver não vives bem com admitir essas coisas... Smile
    avatar

    Mensagem em Seg Out 09, 2017 12:02 am  ScramblerLane

    Sim. Tal como disse, estou interessado e estou aberto a sugestões de como prosseguir. No entanto, algo tem de ser diferente do que com a X.

    Com a X, foi tudo muito rápido. Aliás, eu depois admiti que eu podia ter perfeitamente saído em grupo com ela mais umas vezes e depois avançado. Ela precisava de um tempo para se habituar. Foi louco, foi tão rápido que pareci desesperado.

    A minha intuição fortemente diz-me para ir com calma. Por esta rapariga ser como é, e pela minha experiência. Eu sei que não é certo mandar-lhe mensagem agora. É errado, especialmente dado as circunstâncias. É muito cedo e desnecessário. Faço bem em esperar no mínimo 1 semana. E antes de o fazer, tenho de avisar a minha irmã antes e ter a aprovação dela.  Vamos assumir que ela ficou interessada, que vai pensar em mim durante a semana e que talvez encontre  a minha irmã na faculdade e lhe mencione quão divertido foi a noite.

    Falei com a minha amiga de erasmus, a minha "coach" na festa da faculdade. Ela é muito honesta, e tem bastante experiência. Contei-lhe que tinha uma crush numa amiga da minha irmã, e que entretanto devia ir sair com uma da faculdade. Ela disse-me:
    "Hmm... If you really like the first girl, wait a bit and then make a move Smile Not to scare her or something like that"

    Isto vindo de uma rapariga que na discoteca apontava-me para gajas giras, achava que era super simples e que elas deviam-me comer simplesmente por eu ser cute (excelente amiga!). O melhor tipo de wing! Divertida e tudo. Ela claramente acha que às vezes é para lhe dar e rápido. Por isso não acho que ela esteja a ter uma visão feminina falsa, ou a fingir que as meninas são todas umas santas.

    Por isso, acho que era esperar uma semana, ver se a minha irmã combina algo em grupo.

    Entretanto estou a combinar de estudar com a R. Não é a que mais me interessa agora, mas sei que não adianta de nada não sair com ela.
    avatar

    Mensagem em Seg Out 09, 2017 6:59 am  sapedro

    ScramblerLane escreveu:SE antes de o fazer, tenho de avisar a minha irmã antes e ter a aprovação dela.  

    Falei com a minha amiga de erasmus, a minha "coach" na festa da faculdade. Ela é muito honesta, e tem bastante experiência. Contei-lhe que tinha uma crush numa amiga da minha irmã, e que entretanto devia ir sair com uma da faculdade. Ela disse-me:
    "Hmm... If you really like the first girl, wait a bit and then make a move Smile Not to scare her or something like that"

    Isto vindo de uma rapariga que na discoteca apontava-me para gajas giras, achava que era super simples e que elas deviam-me comer simplesmente por eu ser cute (excelente amiga!). O melhor tipo de wing! Divertida e tudo. Ela claramente acha que às vezes é para lhe dar e rápido. Por isso não acho que ela esteja a ter uma visão feminina falsa, ou a fingir que as meninas são todas umas santas.

    1. Se há coisa que nunca pensei ver neste fórum é uma frase desse calibre. Agora tens que andar a justificar-te à tua irmã ou a seja quem for pelos teus desejos e interesses?

    2. Não sei se a tua amiga Erasmo não está é ela interessada mas é...

    Mensagem   Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Out 22, 2017 7:14 pm